“Tudo planejado e pura perseguição política, até médico tinha para me substituir”, diz Dr. Diego Abreu sobre sua demissão

A notícia da demissão do médico tauaense Diego Abreu, da Unidade Básica de Saúde de Trici, gerou indignação no próprio profissional que não esperava essa atitude da atual gestão, revolta de pacientes e internautas nas redes sociais. O médico foi demitido de suas funções na segunda-feira (02), quando estava de saída para a UBS.

Segundo informações, o motivo da demissão do jovem médico teria sido perseguição política, já que ele é primo do vereador Felipe Viana (PSD), que é aliado da ex-prefeita Patrícia Aguiar e sobrinho do Dr. José Viana de Abreu, que sofre ações judiciais por parentes e membros da atual gestão do atual prefeito.

Segundo Dr. Diego, na segunda (02), ele aguardava o carro do PSF quando soube pela enfermeira, que estava na secretaria, que estava demitido. Ele então foi até a secretaria e la o secretário estava relatando que por ele não ter ido conversar com o prefeito, estaria cortado de suas funções.

“Trabalhei durantes esses 4 anos com muito esforço e procurando sempre dar o melhor, buscando atender de forma adequada a todos. Minha comunidade teve dificuldade em se manter o médico durante 4 anos, e eu fui o único que permaneceu durante esse tempo, pois ninguém queria ir. Ser cortado assim como os três outros médicos de Santa Tereza e região não é digno de um representante do povo, médicos que estão familiarizados com a população. O pior nos dias de hoje é ser tratado dessa forma pelo próprio colega de profissão, o prefeito que também é medico, uma falta de respeito e de pura perseguição política”, falou Dr. Diego Abreu.

“Achei um posicionamento inadequado para o começo de uma gestão, onde não deve ter tantos profissionais qualificados assim competentes para substituir os que aqui estão”, alertou Dr. Diego Abreu, que lembrou sobre o projeto de planificação da atenção básica de saúde, modelo implantado em Tauá e vem sendo destaque a nível nacional.

img_0451

O médico foi categórico em suas palavras e disse que o secretário falou que a ordem tinha sido lá de cima, do prefeito, que o secretário tinha tentado ver o caso, mas a ordem de exoneração veio dele, e se ele quisesse voltar, fosse atrás de conversar com ele, o prefeito. Dr. Diego disse que estava na presença de Zé Júnior e Soares, quando da reunião com o secretário e ouviu essa afirmação que o deixou ainda mais perplexo da forma que foi tratado.

“A decisão já estava tomada, pois no dia seguinte a minha demissão, tinha outro profissional em meu lugar e também no de Dr. Nelo em Santa Tereza. Soube de informações que a enfermeira de Marrecas, que também tinha sido cortada, foi reconduzida ao cargo, após pedido político. Não entro no mérito da escolha política, somos profissionais médicos que tem já uma certa familiaridade com a comunidade, um vínculo forte e de liberdade, fora que fazemos parte de um projeto que sequer foi finalizado. Devem chegar outros profissionais, mas não com a mesma qualificação e de acordo com o projeto que aqui está sendo executado com tanta exatidão e acertos”, finalizou Dr. Diego.

Nas redes sociais o médico ganhou apoio de pacientes e amigos

img_0429 img_0430 img_0431 img_0432

img_0444

Últimas Notícias

CANINDÉ: Centro de internação para...

O Centro de Internação...


FORTALEZA: PF realiza operação com...

Uma operação da Polícia...


BOA VIAGEM: Após ação do MPCE,...

Após ação do Ministério...