Câmara de Tauá cassa o mandato do Prefeito Carlos Windson, por 11×4

O Prefeito de Tauá, Carlos Windson Cavalcante Mota, DEM, teve o mandato cassado na tarde do dia 12 de setembro, durante Sessão Especial da Câmara Municipal, por infração político-administrativa.

O relatório aprovado pela Comissão Processante, que iniciou a investigação da denúncia recebida pelo Poder Legislativo por 10×4, no último dia 11 de junho, considerou procedentes, 4 das várias denúncias apontadas. São elas: o descumprimento do orçamento do município referente ao teto de gastos com pessoal, que ultrapassou os 67%, dispensa de licitação para contratação de transporte escolar, não prestação do serviço de transporte de alunos e negligência na defesa dos bens do município.

Pedidos de liminares

O prefeito Carlos Windson e sua defesa, protocolaram e Mandados de Segurança e uma Ação Popular, pleiteando a anulação dos atos da Comissão Processante e a suspensão da sessão de votação do relatório, mas todos os pedidos foram indeferidos pela Justiça de Tauá.

O gestor também ingressou com uma Reclamação no Supremo Tribunal Federal, em Brasília, no último dia 05 de setembro. O processo está concluso ao Ministro Gilmar Mendes, para despacho.

Sessão

A Sessão Especial foi iniciada pouco depois das 10h da manhã e logo em seguida, o Presidente Luís Tomaz, suspendeu os trabalhos por 10 minutos para aguardar a chegada do prefeito Carlos Windson ou de seu procurador, o que não aconteceu.

Em seguida, os trabalhos foram retomados obedecendo rigorosamente o Art. 5º, incisos V e VI, do Decreto-lei Nº 201/67.

A pedido de alguns vereadores, foram lidas, a denúncia inicial, defesa prévia do prefeito, relatório da Comissão Processante e partes do processo.

Pronunciamentos

Os vereadores Alaor Mota, Wellington Jr, Fátima Guedes, Argentino Filho e Dr. Edyr Mota, usaram a Tribuna do Plenário para defenderem seus posicionamentos diante da votação do relatório da Comissão Processante.

A advogada Dra. Roniza Freitas usou a palavra para apresentar a defesa do prefeito Carlos Windson, como defensora dativa e pediu a absolvição do denunciado.

Votação

Após os pronunciamentos, o Presidente Luís Tomaz colocou o relatório em votação nominal e o prefeito Carlos Windson foi afastado por 11 votos a 4, na votação das denúncias (uma por vez) constantes do relatório final da Comissão Processante.

Nas denúncias em que houve absolvição do prefeito com base no relatório, a votação ocorreu por unanimidade, 15×0.

Já as denúncias consideradas procedentes pela Comissão Processante, votaram a favor do relatório, os vereadores, Marco Aurélio, Antônio Coutinho, Valdemar Jr., Chico Neto, Felipe Viana, Fátima Veloso, Williana Bezerra, Vony Sousa, Argentino Filho, Luís Tomáz e Williana Bezerra.

Votaram contra os vereadores, Dr. Edyr Mota, Alaor Mota, Wellington Jr. e Fátima Guedes.

fonte: Blog do Wilrismar 

Últimas Notícias

13 anos de Peteca: Sessão solene na AL...

Atendendo ao requerimento da...


Domingos Filho reúne base política em...

Saindo um pouco do que de...


Eleitos os melhores prefeitos do Ceará...

Escolhidos há pouco, em...


Governo do Estado anula Eleição da...

A eleição para escolha da...