Laudo aponta que mãe matou filho envenenado no Ceará, diz delegado

Cristiane Coelho fez pesquisa na internet sobre uso de veneno, diz laudo.
Criança de nove anos morreu envenenada em 11 de novembro de 2014.

O laudo pericial da Polícia Civil aponta Cristiane Coelho, mãe de Lewdo Bezerra, como autora da morte do filho de nove anos, de acordo com o delegado Wilder Brito, titular do 16º Distrito Policial. “O laudo reafirma tudo o que a gente já suspeitava, que quem matou o menino Lewdo foi a Cristiane, a própria mãe, e quem envenenou o pai [de Lewdo Bezerra] foi a também a mãe”, afirma o delegado nesta quarta-feira (15), após a conclusão do inquérito.

Na madrugada de 11 de novembro, Francileudo Bezerra e o filho, Lewdo Bezerra, foram envenenados com veneno para rato, conhecido como “chumbinho”. O pai ficou em coma por uma semana e se recuperou; ele chegou a ser apontado como suspeito de homicídio e tentativa de suicídio no início do caso, suspeita que foi descartada após a conclusão do laudo, segundo Wilder Brito.

Segundo o delegado, a Polícia Civil deve pedir na Justiça, ainda nesta semana, a prisão de Cristiane Coelho por homicídio triplamente qualificado.

O laudo pericial da segunda reconstituição da morte do menino Lewdo Ricardo aponta que a mãe da criança fez pesquisas na internet sobre como envenenar pessoas com chumbinho. De acordo com o delegado e os peritos, Cristiane e Francileudo usavam o mesmo notebook, mas de formas diferentes. “Os equipamentos eletrônicos foram enviados ao núcleo de informática [perícia] e neles os peritos descobriram situações que precisavam ser esclarecidas”, disse o perito José Cordeiro de Oliveira, esclarecendo a necessidade a segunda reconstituição do crime feita em 8 de abril.

“Ela fez pesquisas de como envenenar uma pessoa com chumbinho [enquanto o marido estava trabalhando]”, afirmou o delegado. O advogado de defesa de Cristiane, Paulo Quezado, disse que ainda não teve acesso ao laudo.

Na madrugada do crime, a mulher contou à polícia que o marido tinha matado o filho Lewdo com tranquilizantes e tentado se matar, além de agredi-la.

De acordo com o primeiro depoimento da mulher do militar, o marido obrigou que ela e o filho ingerissem tranquilizantes com objetivo de matá-los e, em seguida, tentou suicídio com remédios, mas o laudo toxicológico no corpo do menino indicou que ele morreu por ingestão de veneno de rato. O subtenente foi preso em flagrante e levado para o Hospital do Exército, onde ficou em coma por uma semana.

IMAGENS DA CASA
A polícia divulgou em fevereiro imagens da casa onde ocorreu o crime gravadas no dia em que foi feita a última perícia no local. São imagens do dia 30 de dezembro, mostradas pela primeira vez. A equipe encontrou chumbinho no encanamento da pia.

Fonte: G1.com.br

Últimas Notícias

Falamansa lança single e clipe...

A Falamansa lança o single...


Obra de Cinema em Canindé recebe...

Nas décadas de 1970 e 1980,...


Cartel em postos de combustíveis é...

O Ministério Público do...