Líder do PSB no Senado crítica Cid Gomes por antecipar debate eleitoral

O líder do PSB no Senado, Rodrigo Rollemberg (DF), criticou nesta terça-feira (23)a iniciativa do governador do Ceará, Cid Gomes, de enviar à Executiva Nacional do PSB um ofício em que pede a antecipação do debate interno sobre a possível candidatura à presidência da República, em 2014, do governador de PernambucoEduardo Campos.
Campos não assume ser candidato, mas vem se movimentando nos bastidores nos últimos meses sinalizando a possibilidade de concorrer no próximo ano. “O PSB não tem porquê e não irá se definir sobre a candidatura à presidência nesse momento. Até porque seria ilegal”, disse Rollemberg da tribuna.
No discurso, o líder do PSB lembrou que na disputa pela presidência da República de 2010, o partido tomou a decisão de aderir à campanha de Dilma apenas no dia 27 de abril, após consultar as direções regionais.
“Entendo a excitação do governador Cid Gomes, mas alerto que essas posturas não servem ao PSB e muito menos à presidente Dilma. Quero registrar que a forma exagerada, extemporânea, diante de crítica inclusive ao PSB tem deixado, incomodados, constrangidos, irritados, até mesmo aqueles que dentro do partido admitem apoiar a presidente Dilma”, afirmou o senador.
Declarações foram proferidas após reunião do PSB estadual
As declarações de Rollemberg ocorrem um dia após Cid Gomes convocar a Executiva Estadual do Ceará para um encontro no qual foi aprovado o envio de um documento ao comando nacional do PSB em que pede que seja antecipada a discussão de 2014.
Junto com o irmão Ciro Gomes, Cid faz coro pela permanência do partido na base aliada e manutenção do apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff.
O líder do PSB disse ainda que assim que for concluída a votação do projeto, que criar barreiras para o surgimento de novos partidos, na Câmara, vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal. A votação na Câmara pode ser encerrada na tarde de hoje após discussão de destaques que alteram parte do texto da matéria. Após essa etapa, o projeto segue para o Senado.
“Estamos assistindo um vergonhoso espetáculo protagonizado pelos grandes partidos da Câmara. O casuísmo eleitoral enorme”, afirmou.
Na próxima quinta-feira, o PSB utilizará o tempo do programa de Rádio e TV, em rede nacional, para reforçar o discurso de que é possível “fazer mais” pelo país. Na peça, Campos diz que é preciso “enfrentar” a inflação, apontará também falta de planejamento em setores como o de energia e condenará quem acha que pode “fazer tudo sozinho”.
O governador e presidenciável diz que “ajudou” nas conquistas do PT, mas que o país pede para que se faça “muito mais”.

Últimas Notícias

Quixadá inicia a 4ª edição do QXAS...

Na sexta-feira (03), o Museu...


“Estou otimista e sinto que o povo...

Neste domingo, 05, será...


Encontro entre prefeita, deputado...

A prefeita de Icó, Laís...