Entrevista com o pré-candidato a prefeito de Tauá, Josevaldo

As eleições de 2012 no município de Tauá pode ser uma das mais concorridas, sabendo que a oposição conta com diversos nomes a sua escolha, no caso de uma união de todos os partidos que hoje não fazem parte da situação escolher um bom nome, e ainda podendo enfrentar uma forte adversária, Patrícia Aguiar, ex-prefeita e esposa do atual vice-governador do Estado do Ceará, Domingos Filho, onde a mesma foi chefe do executivo por 8 (oito) anos, tendo sua gestão aprovada por mais de 70% da população local.
Com isso damos inicio a primeira entrevista com pré-candidatos a prefeito no município de Tauá, o empresário, ex-vereador pelo PSDC, filho de José Silvério do Nascimento e Lenita Alves do Nascimento, casado com Marta Teixeira Pessoa do Nascimento, pai de Luiza Jessica, Larissa e Gabriela, avô de Pedro Victor, Josevaldo Alves do Nascimento, trocou recentemente o PR pelo PSDB, onde nas eleições de 2008 foi candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Dr. Ronaldo César, onde contou com a vitória de Odilon Aguiar, atual prefeito do município, pelo PMDB.

Jornal Folha do Sertão – Josevaldo, recentemente você estava filiado ao Partido da República – PR, agora está filiado ao PSDB, partido esse que até pouco tempo fazia parte da base aliada ao atual governo municipal, o que o motivou a sair do PR e ir para o PSDB?

Josevaldo – Toda estabilidade econômica do país, todo desenvolvimento do estado do Ceará e toda infra-estrutura do nosso município, deve-se ao PSDB. Nós temos compromisso com o projeto de nosso partido em 2014 nas esferas Estadual e Federal, e o partido tem compromisso conosco nas eleições municipais de 2012l. Um partido com a grandeza e o serviço prestado que tem como o PSDB, não pode simplesmente servir de legenda de aluguel. O nosso compromisso com o PSDB e com o nosso município é de discutirmos os problemas do nosso Tauá, e propormos soluções, fortalecendo assim o processo democrático de nosso município. 

J.F.S – Nas eleições municipais de 2008, você junto a Dr. Ronaldo César, unidos pelos partidos PPS/PDT/PR/DEM, onde para muitos fizeram uma expressiva campanha, com 13.887 votos, mais de 40% dos votos válidos. O que podemos esperar e por onde começa o trabalho para 2012, já que podem enfrentar uma gestão forte e podendo ainda mais com a volta de Patrícia Aguiar a disputar o cargo do Executivo municipal.

Josevaldo – Na verdade foram 44% dos votos, isso mostra a fragilidade e a falta de compromisso dos atuais gestores, que procuram se perpetuarem no poder. Independente de quem disputará a eleição em nosso município por parte da conjuntura atual não será fácil, pois o modelo político atual de domínio e centralização do poder, já não condiz com a realidade atual que vivemos.

J.F.S – Hoje o que muito se fala na cidade é de que a oposição está rachada/dividida, com sua saída do PR, partido esse que conta com 3 pré-candidatos, os médicos Ronaldo César, Ed Wilson e Carlos Windson em disputa interna. A situação da oposição hoje é delicada como se fala ou há conversas nos bastidores?

Josevaldo – Eu não acho, quem apostar no racha da oposição com mais de um candidato vai perder.

J.F.S – Recentemente houve manifesto de outros partidos, esses a dizer que são de oposição a atual gestão, manifesto esse mais na teoria do que na prática, gostaríamos de saber, quais os partidos que se hoje fossem as eleições, quem o PSDB, encabeçando a oposição poderia contar para uma futura coligação?

Josevaldo – PSDB, PRTB, PPS, PT do B, PR, PV e o POVO, se não houver nenhuma alteração até junho de 2012, partiremos juntos, e dependendo do andar da carruagem ainda poderemos contar com o DEM.

J.F.S – Em 2012, caso não haja uma união de quem será o nome a encabeçar a chapa da oposição, podemos dizer que há o risco termos 02 (dois) candidatos a prefeito, rachando em definitivo o quadro da oposição tauaense.

Josevaldo – A oposição de TAUÁ não é burra, e nós não estamos brincando com o povo,e muito menos usando nossos amigos para possíveis negociações, agora é preciso que o candidato tenha historia na política do nosso município, e tenha no mínimo a simpatia e o respeito do nosso eleitorado.

J.F.S – Quando citamos o poder executivo, prefeitura, logo nos vem a composição de uma forte e amigável casa de vereadores, apoiando o executivo e aprovando o que lhe convém. Hoje, o que podemos de verificar é de que a Câmara Municipal de Tauá é totalmente aliada ao poder executivo, todos os vereadores fazem parte da situação. No caso, a seu ver, isso facilita a vida do gestor municipal, mas nos passa uma visão diferente da casa e voz do povo, que em algumas vezes, vai de contra essa voz. O que o senhor, como vereador que já o foi, poderia de acrescentar ou exigir do executivo municipal se hoje ainda fosse um legislador municipal?

Josevaldo – Isso dito é bem verdade, com à negligencia da Câmara em realizar o seu trabalho, que é de fiscalizar, legislar e deliberar. Acaba-se assinando um cheque em branco para o executivo e consequentemente acaba-se descaracterizando e tornando-se ainda mais sem credito e fútil o poder legislativo. Mais vale o papel de um vereador critico e consciente, do que o de dez bajuladores.

J.F.S – Se em 2012, o senhor for o candidato a prefeito pela oposição, quais suas principais metas/projetos para Tauá, cito aqui áreas essenciais e bastante criticadas na atual gestão, como saúde, esporte e agricultura e nos comente mais alguma que esteja como meta a colocar em ação no município?

Josevaldo – Olha primeiro nos vamos voltar os nossos esforços para cuidar principalmente das pessoas, com parcerias voltadas para criação de emprego e renda, coisa rara hoje em nosso município. Uma boa gestão na saúde, educação, segurança publica, infra- estrutura e apoio ao homem do campo com certeza será focada e priorizada por nós.

J.F.S – Interessante em muitos municípios do interior cearense se falar em geração de emprego e renda, municípios como Tauá, com uma população de mais de 55 mil habitantes, melhores empregos somente pelo poder público. Alguns órgãos e empresas privadas apareceram como salvação para uma população desempregada, ficando apenas como uma boa promessa futura. Citamos a Usina Solar, apareceu como geração de emprego e renda, mas não apresentou suas verdadeiras e esperadas empregabilidades. O senhor tem algum projeto, que traga novos investimentos, eficazes e geradores de emprego no município?

Josevaldo – O que podemos observar, é que a cada dois anos em nosso município, por conta das eleições, os que detem o poder do Tauá, prometem indústrias e mais indústrias. Finda somente nas promessas, nada acontece. Se levarmos em consideração a força política e institucional daqueles que hoje dominam o nosso município e que estão ao lado do governo Federal e Estadual, chegaremos a conclusão de que a criação de empregos em nosso município não acontece, ou porque não querem ou por pura incompetência.

J.F.S – Em um mundo bastante civilizado, contamos com maior representação nos debates, exigimos e criticamos tudo aquilo envolvam nossos direitos. Hoje em uma democracia, temos votado de forma que gostaríamos e esperávamos fazerem verdadeiras mudanças, seja no amparo social, urbano e geração de emprego e renda. Para muitos, são áreas essências, mas a certeza que temos é de que nem toda gestão tem cumprido verdadeiro dever, até mesmo pela dificuldade enfrentada, e assim, o senhor, como oposição e como cidadão, diga-nos 2 fatores positivos e 2 negativos da atual gestão?

Josevaldo – O único positivo é estes conjuntos de obras que vieram para o nosso município. Agora negativos são vários, a falta de transparência dos recursos públicos, a má gestão da saúde, educação, a falta de apoio a agricultura e a geração de emprego levam o nosso município por parte dos atuais gestores a um dos piores em indicadores econômicos do Ceará.

J.F.S – Josevaldo, você compõe hoje os quadros do PSDB local, partido esse de oposição ao governo Cid Gomes (PSB) e a presidente Dilma (PT), no caso de uma vitoria sua, atuando como prefeito municipal de Tauá, como lidar com essa oposição a nível nacional e que para muitos, Tauá tem sido um dos médios municípios que mais tem crescido com investimentos federais e estaduais, assim, podemos dizer, uma nova gestão, no município de Tauá, sem contar com apoio dos Governos Federal e Estadual, é um maior desafio e poderia de parar esse considerado avanço?

Josevaldo – Todo brasileiro paga seus impostos, para receber em serviços públicos, os tauaenses não estão fora destas possíveis realidade, agora os nossos conterrâneos não tenham duvidas, de que se eleito prefeito de Tauá buscaremos parceiros para juntos ao governo Federal e Estadual, buscando melhorias, oportunidades e desenvolvimento para o nosso município.

J.F.S – Em nossa última pergunta, temos o seguinte, o senhor, caso eleito prefeito de Tauá, a população tauaense pode contar com um Josevaldo de que forma e o que implantar e exigir dos governantes para o nosso Tauá?

Josevaldo – Um Josevaldo preparado para cuidar do município e das pessoas, um Josevaldo que respeitará as leis e as instituições. Estaremos prontos ao dialogo, mas atentos em defender principalmente ao povo mais humilde de nosso município, buscando mecanismo governamental para criação de emprego e renda e apoio a área produtiva. Respeitaremos também um dos princípios básicos da democracia que é a alternância do poder.

Últimas Notícias

Campus de Cratéus debate revisão do...

Assembleias ocorrem nos dias...


Síndrome do Vice

Sobre carta que circulou na...