Em visita à nova ala do Leonardo Da Vinci, governador projeta 1.074 UTIs para Covid em março

O governador do Ceará, Camilo Santana, fez transmissão ao vivo na tarde desta segunda-feira (22), direto do Hospital Leonardo Da Vinci, em Fortaleza, para vistoriar as obras das novas UTIs do hospital estadual que atende exclusivamente pacientes com Covid-19. Na ocasião informou que o Ceará terá 811 leitos de UTI exclusivos para Covid-19 até o fim de fevereiro, 108 a mais do que o Estado havia previsto inicialmente, com nova meta de chegar a 1.074 leitos até o fim de março, ultrapassando o número que o Estado oferecia durante o primeiro pico da pandemia.

Ao seu lado estavam o secretário da Saúde, Dr. Cabeto, o secretário executivo de Atenção à Saúde e Desenvolvimento Regional do Ceará, Ivan Coelho, o diretor presidente do ISGH- Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar, Flávio Deulefeu, e os diretores do Leonardo da Vinci, Rafaela Neres e Emilio Sobreira.

Mais leitos de UTI

Falando direto de um dos andares em obras, o governador destacou que o local vai ganhar até sexta-feira (26), mais 20 leitos exclusivos para atender pacientes com Covid-19. “No final do ano passado o Hospital Leonardo Da Vinci, comprado pelo estado em meio à pandemia, tinha 35 leitos de UTI, e hoje já temos 130 leitos de UTI neste hospital. Aqui onde estamos, uma área desativada, nós estamos transformando em 20 leitos de UTI, chegando nesta sexta-feira a 150. Já no andar de cima, teremos mais 20, totalizando 170 leitos de UTI exclusivos para Covid-19”, ressaltou Camilo.

Se antes a meta do Governo do Ceará era de chegar ao final de fevereiro com 703 leitos de UTI no Estado, na próxima segunda-feira (1) o Ceará atingirá 811 leitos de UTI para atender pacientes com Covid-19, e um total de 1.074 até o final de março, um número superior ao que o Estado possuía no pico da primeira onda da pandemia. “Nesse momento, com o crescimento de casos no Ceará, nosso foco é a ampliação e a criação de novos leitos de UTI para atender aos casos mais graves. E a nossa meta agora é chegar até o final de março com 1.074 leitos de UTI, incluindo mais 10 em Canindé, mais 10 em Quixadá, mais 10 em Crateús, mais 10 em Quixeramobim, mais 10 em São Gonçalo do Amarante, mais 10 em Caucaia, mais 40 leitos em cada hospital regional do Interior – Sobral, Quixeramobim e Juazeiro do Norte -, além da parceria com a rede do Hospital São Camilo, que abrirá mais 60 leitos de UTI, incluindo as cidades de Itapipoca, Tianguá, Tauá, Limoeiro do Norte e outras localidades, com 50 deles já funcionando na próxima semana, além da conexão de leitos de UTI do Estado dentro das UPAs de Fortaleza”, listou o governador.

Prestando contas com a população ao listar os esforços nas ações do Estado para combater a segunda onda do coronavírus, Camilo destacou também que não adianta fazer leitos se não houver cooperação das pessoas. “Cerca de 80% da população cearense usa a rede pública de saúde, e estamos abrindo novas UTIs, mas tudo tem um limite. De espaço físico, e da contratação de profissionais de saúde”, apontou Camilo.

“Quero lembrar aqui que como estão vendo, esses leitos são definitivos, pois o Ceará executa com muito planejamento suas ações, fazendo com que isso posteriormente seja incorporado à rede hospitalar em todas as regiões do Ceará. Aproveito para agradecer a dedicação de todos os profissionais de saúde do Estado, e aqui em especial os do Leonardo da Vinci, que se tornou referência no combate ao Covid-19 não só no Ceará, mas no Brasil”, explicou o Dr. Cabeto.

Últimas Notícias