Perseguição política a servidores e falta de transporte escolar dominaram os debates na sessão da Câmara Municipal

A sessão da Câmara Municipal de Tauá realizada no início de setembro, foi marcada por várias críticas e cobranças por parte da bancada de oposição ao prefeito Carlos Windson.

vereador Marco Aurélio subiu a Tribuna do Plenário para denunciar que o trabalho de recuperação de estradas vicinais está parado porque as máquinas estão sem combustíveis. Segundo ele, as informações partem de membros da própria gestão. O parlamentar também denunciou o que classificou de “terror” o que está sendo feito com o funcionalismo público, desde o gari até o médico e acusou um ex-secretário da Prefeitura. Marco Aurélio avisou que “se essa situação continuar vou trazer os nomes de todos os envolvidos nesse absurdo”, acrescentando que Tauá voltou no tempo 200 anos.

Já o vereador Chico Neto confirmou as denúncias feitas pelo vereador Marco Aurélio, salientando que servidores ligados a ele que foram demitidos por retaliação política, teriam sido recontratados pelo ex-secretário, que está pressionando os servidores a votarem nos candidatos apoiados pela gestão municipal e disse ter provas.

Antonio Coutinho também citou um caso de flagrante perseguição política envolvendo um permissionário do mercado que recebeu uma notificação somente porque não confirmou o voto nos candidatos ligados a Prefeitura. Ele também reclamou que o transporte escolar que atende a rota entre as localidades de Flores e Calumbí, no distrito de Trici, está há 12 dias que não aparece para levar os alunos para a escola.

vereador Argentino Filho lembrou que no primeiro semestre foi aprovada a convocação do Secretário de Saúde do município, Dr. Joel Campos, para prestar informações sobre a demissão em massa ocorrida na pasta em 2017. Ele disse que o secretário pediu demissão, mas é quem continua dando as cartas na pasta. De acordo com o vereador, no distrito de Marrecas há discriminação política e citou o caso de dois vigias que trabalham num posto de saúde e o que se identifica mais com a gestão recebe o salário por 40h e o outro que faz o mesmo serviço é pago apenas com 20h.

Nenhum vereador da bancada de situação se manifestou sobre as denúncias feitas pela oposição.

Reajuste para os professores

vereador Felipe Viana também foi a Tribuna da Casa para cobrar o reajuste salarial para os professores da rede municipal justificando que a categoria vem tendo aumento de salários anualmente há uma década. Para o vereador, o dinheiro veio e a gestão resolveu pagar ilegalmente os profissionais da Educação afastados para aposentadoria e que deveriam ser pagos pelo IPMT ou o INSS. 

Felipe também condenou a perseguição e pressão política que vem sendo feita em cima dos servidores para votarem nos candidatos apoiados pelo prefeito Carlos Windson e ainda ressaltou que as obras que estão sendo atualmente construídas em Tauá(asfalto, ponte, escola, passagens molhadas, dentre outras), tiveram os recursos viabilizados pelo Dep. Federal Domingos Neto.

O vereador afirmou que “Tauá está no fundo do poço e que o povo não tem mais esperanças”.

Falta de material nos PSFs

vereadora Dra. Fátima Veloso reclamou da falta de material nas unidades do Programa Saúde da Família e disse ter recebido queixas de moradores atendidos na ESF da Vila de Vera Cruz, onde o dentista embora comparecendo ao local de trabalho, não está realizando os procedimentos odontológicos devido a falta de luvas, anestesia e demais insumos. Ela também reclamou da péssima situação das estradas municipais e disse que “a população de Tauá está vivendo o seu pior pesadelo”.

Dra. Fátima também reclamou da falta de atenção do Poder Público com a população residente no interior e citou o caso do mutirão realizado na noite deste domingo, 02, pela população da Vila de Vera Cruz, para a limpeza da praça diante da proximidade dos festejos da padroeira.

Fonte: Blog do Wilrismar

Últimas Notícias