Caucaia terá semana de ações contra abuso e exploração infantil

A luta pela garantia de direitos das crianças e adolescentes é todo dia. Mas em maio Caucaia vai dedicar uma semana inteira à realização de intensas atividades que vão lembrar à população a importância de termos nossos pequenos saudáveis e felizes. Os detalhes de tudo o que vai acontecer foram discutidos nesta quinta-feira (26/4) pela primeira-dama Erika Amorim e representantes de diversas secretarias municipais.

De 14 a 18 de maio, o município promoverá blitze educativas, panfletagens em pontos turísticos e de grande movimentação comercial, peças de teatro em espaços públicos e mobilizações em escolas. O período foi escolhido em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrada em 18/5.

A programação contemplará diversos bairros de Caucaia e é uma das 87 ações do projeto Xodó, criado pela Prefeitura para Caucaia ganhar o Selo Unicef, uma certificação internacional concedida somente a gestões municipais que reduzem desigualdades e melhoram a qualidade de vida de crianças e adolescentes.

“A cada cinco crianças, uma sofre algum tipo de violência no Brasil. Esse é um dado muito alarmante. Fora o que não chega às autoridades. Por isso, a gente tem que juntar as forças. Nosso litoral é uma região que requer muita atenção”, defendeu a primeira-dama, articuladora do Selo Unicef em Caucaia.

Proprietários de bares, restaurantes e barracas de praia serão convidados a participar da mobilização contra o abuso e a exploração infantojuvenil, assim como os dez Centros de Referência da Assistência Social (Cras) e o Centro de Referência Especializada da Assistência Social (Creas). Esses espaços recebem crianças e adolescentes todo dia ou lidam diretamente com demandas referentes à infância e à juventude.

Além disso, a Comissão Intersetorial do Selo Unicef deve procurar a Câmara Municipal de Caucaia para a realização de uma audiência pública sobre o tema e reforçar o convite para os Conselhos Tutelares participarem desse momento marcante para a cidade promovendo encontros em escolas.

A ideia é divulgar o Disque 100 (canal gratuito e sigiloso para fazer denúncias) e desmistificar o medo ainda existente para pedir ajuda especializada em casos de abuso e violência. “Mais de 90% dos casos do Disque 100 são de violação de direitos da criança e do adolescente. Então, quanto mais divulgarmos esse serviço mais chances temos de salvar vidas”, ressaltou o presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica), professor Evando de Sousa.

MAS POR QUÊ 18 DE MAIO?
A data foi escolhida em referência a 1973, quando a menina Araceli foi raptada, estuprada e morta em Vitória, Espírito Santo. Ela tinha apenas oito anos. O caso chocou o Brasil e 18 de maio ficou marcado como um dia de mobilização, sensibilização, informação e convocação da sociedade para lutar em defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

Últimas Notícias

Onze municípios recebem recursos para...

A pedido do deputado federal...


MPCE inspeciona Conselho Tutelar de...

Com o intuito de averiguar...


IGUATU/ELEIÇÕES 2020: Pesquisa aponta...

O candidato a prefeito de...