Choro com soluços

Qualquer dia, qualquer hora vamos assistir espantados a uma cena de choro com soluços deste frágil governador do Ceará.

Tá na cara, é visível. Os nervos do presunçoso e perdulário rapaz sem tutano, não foram feitos de titânio, enferrujam rápido demais. Esse Camilo, diria Brizola, “trata-se de um “punho de renda no poder”; ou como diz Roberto Requião, “um piá de prédio”, criado à barra da saia da mamãe, fora da realidade, longe da fortificadora pressão fática do mondo cane.

O Ceará está assim, o Brasil assiste solidário, nervos à flor da pele. Em nervous or mental breakdown, como dizem em Sobral. Qualquer barulho, “é tiro”; uma moto em sua direção, “é assalto”, onde perde-se no mínimo o celular ou a frágil vida biológica.
Definitivamente, Fortaleza (a cidade mais libanesa do ocidente) não merece passar por isso. Não mesmo.

E estes boçais governantes cearenses continuam a tuitar seus tristes monólogos de idealização publicitária — “somos o mais”, “somos o melhor” — que derretem no fogo desta chuva de balas, sendo todos imediato dissolvidos pelo sol cearense famoso por derreter até catedrais.

Ontem mesmo, essa situação escaldante derreteu o salto alto do boçal prefeito de Fortaleza, o manequim roliço da Gucci, que de manhã disse, jactando-se, ter adquirido equipamentos de Israel para combater o crime; e no final da tarde viu suas inúteis torres fixas crivadas de balas.

Mas o pior de tudo é saber que a idealização neoplatônica foi causa de toda essa crise. Mexeram no sistema policial cearense, acabaram nosso modelar sistema de informações, que funcionava muito bem como braço preventivo. Eis a questão central, o Ceará está sem prevenção. Todo o sistema de segurança só é acionado a partir da ocorrência.

Isso dá no que já deu…

por Norton Lima Júnior 

Últimas Notícias

Educação em Tauá emite comunicado...

Em comunicado emitido ontem,...


Após 40 dias internado, 27 deles na...

Na luta contra a Covid-19,...


Hospital de Campanha vai começar a ser...

Na manhã de hoje, 26, o...