Temer diz que ficará 'mais um pouco' na presidência do PMDB

Vice-presidente avaliava deixar comando da legenda neste ano.
Ela passou a ser responsável por articulação política do governo

O vice-presidente da República, Michel Temer, presidente nacional do PMDB, afirmou nesta segunda-feira (13) que ficará “mais um pouco” à frente da presidência do partido. Ele foi questionado por jornalistas sobre a possibilidade de deixar o mandato na executiva nacional da sigla.

“Vamos examinar isso [a possibilidade de sair da presidência da sigla] logo mais adiante. Eu vou ficar mais um pouco”, declarou. Temer não informou por quanto tempo pretende permanecer no posto.

Na semana passada, pessoas ligadas a Temer e o vice-presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), disseram que ele estudava deixar a presidência do partido para evitar acumular o mandato na sigla com a tarefa de articulador político no governo, função para a qual foi designado pela presidente Dilma Rousseff no último dia 7.

De acordo com o Blog da Cristiana Lobo, a intenção inicial de Temer era que o senador Romero Jucá (RR) passasse a presidir o PMDB em seu lugar. Para isso, no entanto, seria necessário que se licenciassem os dois vice-presidentes do partido, o senador Valdir Raupp (RO) e a ex-deputada Iris Machado (GO). Jucá e Raupp estão entre os políticos investigados na Operação Lava Jato.

Momentos antes da declaração de Temer, o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha (PMDB), afirmou que Temer havia comunicado internamente a membros do PMDB que não deixará o comando da legenda.

Eliseu Padilha deu as declarações após se reunir com Temer no Palácio do Planalto. “Michel não deixará a presidência do PMDB. Ele garantiu que não deixará a presidência do PMDB a um grupo de peemedebistas que têm interesse no assunto”, disse o ministro. Procurada pelo G1, a assessoria do PMDB não se pronunciou sobre o assunto.

De acordo com o Blog da Cristiana Lôbo, a preferência de Temer era que, com sua saída, o terceiro-vice-presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), assumisse o cargo. Porém, segundo o blog, o senador Valdir Raupp, primeiro-vice-presidente, decidiu que não abriria mão do cargo e a segunda-vice-presidente, a ex-deputada Íris Araújo (GO), também não.

Ao G1, Raupp havia dito que, se a saída de Temer fosse concretizada, ele aceitaria substituí-lo no comando da legenda – o senador de Rondônia já presidiu o PMDB entre 2011 e julho do ano passado.

Raupp disse também que Temer estudava deixar a presidência do partido por acumular as funções da Vice-presidência, da articulação política do governo e as responsabilidades para com a legenda.

Segundo escalão
Após o encontro com Temer, Padilha disse, também, que o vice-presidente está ouvindo “a todos” sobre as indicações do PMDB para os cargos de segundo escalão, como a presidência de autarquias e de departamentos ligados a ministérios.

Segundo o ministro da Aviação Civil, a expectativa é que até o fim de semana a legenda tenha o “primeiro quadro” sobre essas indicações. “Ele [Temer] está ouvindo a todos, e nós devemos ter até o fim de semana um primeiro quadro, um retrato do que a gente pode fazer em termos de segundo, terceiro escalões, cargos nos estados para que ele, então, possa conversar com a presidenta”, completou

Fonte: G1.com

Últimas Notícias

Falamansa lança single e clipe...

A Falamansa lança o single...


Obra de Cinema em Canindé recebe...

Nas décadas de 1970 e 1980,...


Cartel em postos de combustíveis é...

O Ministério Público do...