Jornada contra as drogas sera debatida em 22 municipios no Ceará


Ação faz parte da programação da I Jornada de Políticas Públicas sobre Drogas, do governo estadual

Iguatu. Começa, a partir de hoje, 14, na região do Cariri, no município de Brejo Santo, uma série de 22 de encontros em cidades sedes de Coordenadorias Regionais da Saúde do Estado (Cres) para discutir ações de combate e prevenção ao uso de entorpecentes. A programação integra a I Jornada de Políticas Públicas sobre Drogas, promovida pela assessoria especial implantada em dezembro passado pelo governo do Estado.

Ação coordenada por Socorro França trabalhará em duas frentes: o combate ao tráfico de forma ostensiva e a prisão dos traficantes, e a implantação de políticas públicas de prevenção e tratamento para o viciado FOTO: YAÇANÃ NEPONUCENA

O evento é coordenado pela assessora Especial de Políticas Públicas sobre Drogas, Socorro França, que se mostra preocupada com o avanço do consumo de substâncias entorpecentes mesmo em pequenas cidades do Interior. “Esse é um tema complexo, mas não pode continuar sendo jogado para debaixo do tapete, sem uma discussão ampla e séria”, disse Socorro França.
Ao final de cada encontro, a assessora especial espera assinar com os prefeitos termos de compromissos para implantar as ações em três eixos básicos: prevenção, atenção e reinserção social. “Essa é uma questão que nos preocupa, pois a droga migrou para o Interior e não escolhe sexo e nível social”.
Depois de Brejo Santo, o ciclo de debates chega à cidade do Crato, amanhã, dia 15, e Juazeiro do Norte, dia 16. O evento será retomado no dia 21, na cidade de Tauá, e no dia 22, em Crateús. O encerramento está previsto para o dia 5 de julho, em Fortaleza. Os organizadores estimam que cerca de 4.500 técnicos, lideranças comunitárias e políticas devam participar do evento, cujo objetivo é fortalecer as políticas públicas sobre drogas no Estado.
Prefeitos, secretários municipais, vereadores, empresários, representantes de entidades religiosas, escolas, integrantes de Conselhos Tutelares, juízes de Direito, promotores, defensores públicos, delegados, comunidades terapêuticas e instituições que desenvolvem ações de apoio aos usuários de drogas integram a lista de convidados.

Crack

Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela que o crack está presente em 98% dos municípios brasileiros, ocupando o lugar do álcool em localidades rurais. O delegado regional de Polícia Civil de Iguatu, Agenor Freitas de Queiroz, confirma a presença do crack e de outras drogas na periferia e em áreas rurais de cidades pequenas. “Nos últimos anos, infelizmente, o problema vem se alastrando”, disse. O uso do crack por ser de baixo custo contribui para a expansão do consumo e ampliação do tráfico. O álcool é apontado como porta de entrada para outras substâncias entorpecentes.
O II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad) realizado em 2012 identificou na região Nordeste 832 mil pessoas que fizeram uso destas substâncias, sendo a segunda região com maior prevalência no País.
A implantação da Assessoria Especial de Políticas Públicas sobre Drogas, no fim do ano passado, tem por objetivo articular, integrar, organizar e coordenar as atividades relacionadas às políticas públicas sobre drogas.
“O nosso projeto é sério e precisa ser debatido sobre vários enfoques, da saúde, da espiritualidade e judiciário”, frisou. “Temos de dar assistência, acolher os viciados por amor, para tratamento especializado, e não basta tirar da rua por tirar as pessoas dependentes”.
Os debates nas cidades polos do Ceará vão subsidiar os planos de iniciativa do governo estadual e oferecer diretrizes para que os municípios implantem o programa do governo federal ´Crack, é possível vencer´.
A ex-procuradora Geral do Estado, Socorro França, acredita que assumiu o cargo de assessora especial de Políticas Públicas sobre Drogas do Governo do Estado por desígnio divino. “Foi Deus que me colocou nesse propósito, uma pessoa idosa, para articular e acompanhar essas ações de prevenção, tratamento e combate ao consumo de drogas”, afirmou.

Nova missão

Aposentada do Ministério Público, depois de exercer por quatro vezes o cargo de Procuradora Geral da instituição, Socorro França mostra-se animada e disposta com esse novo desafio. “O consumo de droga destrói famílias, é um tema complexo, mas precisa ser enfrentado com discussão ampla, políticas públicas, apoio espiritual e da família”, observou. “Vamos trabalhar em parceria com as comunidades terapêuticas, e não ficar restrito às instituições públicas”.
A implantação da assessoria especial representa para o governo do Estado um desafio das gestões públicas mediante a dificuldade de se criar um projeto de enfrentamento ao tráfico de entorpecentes e a recuperação dos dependentes químicos. As ações vão envolver outras secretarias: Educação, Saúde, Segurança Pública e Justiça.
O governo do Estado quer trabalhar em duas frentes para enfrentar o problema: o combate ao tráfico de forma ostensiva e a prisão dos traficantes, e a implantação de um conjunto de políticas públicas de prevenção e tratamento para o viciado.
“O vício da droga é uma doença da alma, não basta dar apenas remédio, é preciso apoio e acolhimento com alma”, ressaltou Socorro França. “O drogado não pode ser tratado como bandido, mas como doente”. “É necessário um longo acompanhamento, que começa com a desintoxicação e vai até a internação em comunidades terapêuticas prosseguindo com a inserção no mercado de trabalho”, diz.

Mais informações

Assessoria de Imprensa do Governo do Estado
Telefone: (85) 3466.4939

Projeto visa ajudar jovens envolvidos

Iguatu. Depois de passar por coordenadorias regionais de educação nos municípios de abrangência de Crato, Juazeiro do Norte, Tianguá e Icó, o projeto Prevenir da Pastoral da Sobriedade da Igreja Católica chegou à região Centro-Sul do Ceará. O objetivo é promover palestras e seminários na linha de prevenção contra o uso abusivo de álcool e outras drogas. Mais de 260 escolas em 41 cidades já receberam as ações iniciais do programa, que tem como tema ´Droga, legal é prevenir´.

Prevenir surgiu em 2012, fruto de ações da Pastoral da Sobriedade do Regional Nordeste I da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em parceria com o Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas FOTO: HONÓRIO BARBOSA

O Projeto Prevenir surgiu em 2012, fruto de ações da Pastoral da Sobriedade do Regional Nordeste I da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em parceria com o Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas. O objetivo é mobilizar e conscientizar a sociedade, pais, filhos, adolescentes, educadores e lideranças religiosas sobre um problema crescente: o uso abusivo de álcool e outras drogas.
Desde o lançamento em março do ano passado, na Arquidiocese de Fortaleza, que o projeto não para de crescer. Na Capital, mais de cinco mil jovens do ensino médio participaram de palestras e de outras ações voltadas para a prevenção.
Nos encontros das unidades de educação, multiplicadores participam para dar continuidade às ações básica do projeto.
O êxito do programa motivou o secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, Vitore Maximiano, e o Projeto Prevenir poderá ser adotado em âmbito nacional. “Já tivemos um encontro em Brasília para demonstrar a metodologia e as ações realizadas”, explicou o coordenador estadual da Pastoral da Sobriedade, Rogério Melo. “Já há atividades desenvolvidas em Sergipe e na cidade satélite de Santa Maria, no Distrito Federal”.
Na semana passada, municípios que integram a 16ª Coordenadoria Regional da Educação (Crede) – Iguatu, Orós, Acopiara, Jucás e Catarina participaram das ações do projeto, com palestras para centenas de alunos. Somente em Fortaleza, mais de 25 mil alunos já foram sensibilizados com palestras sobre a temática das drogas.

Ampliar ação

Rogério Melo lembra que o esforço é alcançar o maior número de dioceses até o fim do ano. “A prevenção é uma ação de responsabilidade coletiva e pessoal”, destacou Melo. “Precisamos criar condições básicas para impedir o acesso às drogas e oferecer alternativas para os jovens como atividades sociais, culturais e esportivas”. Para o coordenador do projeto, é importante o desenvolvimento de conhecimento, informação, treinamento e apoio aos dependentes e aos adolescentes em situação de risco. “Só a repressão não resolve, pois é preciso ver as causas e efeitos desse consumo”, disse. Hoje o álcool é uma droga aceita, lícita, mas no passado já foi apontada como responsável pelo desemprego, violência doméstica, pobreza e a existência de crianças nas ruas.
Os movimentos de prevenção surgiram a partir da preocupação com o uso abusivo de álcool e outras drogas e as condições de saúde e bem estar da mão-de-obra necessária ao trabalho. “É preciso chegar às escolas e aos locais de trabalho para ampliar as informações sobre as drogas”, defende Melo.

Adolescência

O coordenador do Crede 16, Antonio Roberto Souza, observou que os alunos do ensino médio estão em uma fase vulnerável a apelos externos. “É um período na vida em que a informação e a educação em saúde são fundamentais”, disse. “Nós apoiamos esse projeto e o processo de continuidade que se dará com o Programa Saúde na Escola”.
Para recuperar os dependentes há os grupos de autoajuda que são ações concretas consideradas exitosas. O pioneiro no mundo é de Alcoólicos Anônimos (AA). “A Pastoral da Sobriedade trabalha com a espiritualidade, professando a fé e mostrando que Jesus é libertador, misericordioso”, disse. “Por meio de relatos, experiência há fortalecimento e ajuda mútua”. Antes de tudo, cada um deve ter consciência de que está no caminho errado e precisa manter-se distante das drogas.

Mais informações

Projeto Prevenir
Telefone (88) 8812. 6264

HONÓRIO BARBOSA

REPÓRTER

Últimas Notícias

No comando de Sérgio Aguiar,...

A Comissão de Orçamento,...


MPCE recomenda que Prefeitura de...

O Ministério Público, por...


Prefeito de Boa Viagem Regis Carneiro...

O Prefeito de Boa Viagem,...