Pernambucanos dão como certa candidatura de Eduardo Campos


Eduardo Campos
Estou na cidade do Recife, capital de Pernambuco, aqui de cada 10 pessoas com quem você fala, nove apostam na candidatura de Eduardo Campos para presidente da República. O governador usa aqui o estilo empreendedor, obreiro e gerador de empregos e riqueza. Os pernambucanos se orgulham dele, elogiam seu governo, babam ao falar de Eduardo Campos.
Os petistas de Recife, que o odeiam, dizem que ele é um novo Collor, uma grade, uma jogada de marketing. Para o PT, o governo Eduardo Campos é o Sauipe. Sauipe é uma região próxima a capital onde foi erguido o complexo portuário e que ganhou vida a partir do governo Lula que irrigou com dinheiro e instalação de empresas o que antes era abandonado, um projeto falido.
Para os pernambucanos, Ciro Gomes é um nome nacional, disputou duas eleições presidenciais, político que já teve as oportunidades e jogou fora. Todos acreditam que chegou a hora de apostar em Eduardo Campos, um nordestino que tem raízes na esquerda, sua história pessoal é de um político moderado, mas seu passado está ligado a Miguel Arraes, avô e mentor político, um líder de esquerda que marcou um tempo.
Eduardo Campos está fazendo um trabalho parecido com o que Cid faz no Ceará em relação ao PT. Bate e assopra o tempo inteiro. Campos corteja o PT, ofereceu cargos no governo, carinho e atenção para os petistas que o seguem, e são muitos. Mas ofereceu ao PT uma derrota em Recife e na maioria dos municípios pernambucanos. Cid fez o mesmo no Ceará. O governador cearense controla o PT de perto.
Cid e Eduardo Campos são as duas maiores estrelas do PSB. Os dois são bem avaliados pelo contribuinte e o eleitor. Mas o diálogo entre eles é difícil. Campos montou uma estrutura poderosa de comunicação para se tornar um pré-candidato e Cid para colocar Eduardo Campos emparedado, trabalha em outro campo, o da defesa da reeleição de Dilma Rousseff.
Eduardo Campos trabalha agora para fechar portas para os Ferreira Gomes. O PSD de Gilberto Kassab e o PRB controlado pelos evangélicos viraram as costas para Cid e Ciro Gomes, não vão oferecer espaços e estão se afastando de Dilma Rousseff. Mas Ciro Gomes é uma velha águia, não vai inibir seus vôos por conta de manobras paulistas ou de Brasília. Ciro tem uma língua afiada e um discurso inteligente. Eduardo Campos tem a virtude de não ter sido testado e de uma mídia que lhe oferece espaço para enfrentar o PT e Dilma Rousseff. A mídia generosa está construindo Eduardo Campos e os pernambucanos estão sendo flexados pela onda.

Últimas Notícias

Falamansa lança single e clipe...

A Falamansa lança o single...


Obra de Cinema em Canindé recebe...

Nas décadas de 1970 e 1980,...


Cartel em postos de combustíveis é...

O Ministério Público do...