Dirigente afirma ter pagado a seleção brasileira de futebol para convocar atleta de seu clube

Presidente do Sport diz que pagou para ter atleta do clube na Seleção

luciano bivar sport (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)Bivar diz que pagou pela convocação de Leomar
(Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
O presidente do Sport, Luciano Bivar, abriu uma polêmica sobre um suposto esquema para a convocação de jogadores para a seleção brasileira. Segundo o mandatário rubro-negro, durante a sua primeira passagem pela presidência do clube, em 2001, ele teria pago uma comissão para que o volante Leomar fosse convocado para defender o Brasil na Copa das Confederações.
As declarações de Bivar vieram à tona quando ele tentou justificar a decisão de efetivar Marcos Amaral como diretor remunerado de futebol do Sport em vez de contratar um executivo para o cargo. Bivar criticou a atuação de profissionais do futebol e citou o caso de Leomar como exemplo.
– Você precisa ter cuidado com executivos de futebol, porque muitos chegam ao clube para realizar negócios e não para ajudar o clube. Nós até já utilizamos esse tipo de expediente. Empurramos o Leomar na Seleção. Pagamos uma comissão para ele jogar na seleção brasileira.
Apesar de confirmar que pagou para que seu atleta defendesse a Seleção, Luciano Bivar evitou falar se o dinheiro teria sido encaminhado para Émerson Leão, que à época comandava o Brasil, ou se teria pago para a Confederação Brasileira de Futebol, que era comandada por Ricardo Teixeira.
leomar brasil x camaroes (Foto: Getty Images)Leomar foi convocado por Leão, que acumulou
passagens como jogador e técnico pelo Sport
(Foto: Getty Images)
– Pagamos para ele jogar na Seleção, foi isso – limitou-se a falar o dirigente.
– O Sport contratou um lobista para vender a imagem de Leomar e defender a Seleção – disse.
Bivar não revelou, contudo, o nome do lobista ao qual teria pago. Segundo o dirigente, é comum técnicos do Brasil serem alvo de lobby.
– Todo mundo faz isso. Se falarem com o (Luiz Felipe) Scolari hoje, ele vai falar que recebe ligações de empresários de jogadores do Catar, de toda a parte, mandam scout ou vídeo. O futebol brasileiro só vive em cima. O nome desse lobista é indiferente, e eticamente eu não poderia revelar o nome dele, se é que eu me lembro. Esse lobby existe todo dia – disse.
Leão contesta dirigente
Emerson Leão no Moisés Lucarelli (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Leão contesta declarações de Luciano Bivar
(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
Ao tomar conhecimento das declarações do presidente do Sport, Emerson Leão afirmou que não recebeu nenhuma gratificação para convocar Leomar e pediu para que o caso fosse investigado.
– Primeiro lugar, eu não tenho nada para esconder. Depois, eu fico muito perplexo que um homem respeitado no Recife, que chegou a ser candidato à presidência da República venha a público falar isso. Agora, uma pessoa que dá uma declaração como essa deve ser investigada pelo Conselho do Esporte e pela polícia. Caso isso se confirme, deve ser preso. Tanto quem pagou, como quem recebeu.
– O presidente da CBF não permitiu convocar jogadores do exterior e dos clubes grandes. O único lobby que existiu para convocação de Leomar foi o ano que ele fez jogando futebol como volante quando fui treinador do Sport na época. Como não podia contar com volantes das grandes equipes e do exterior foi dada a chance de convocação a eles. Nada mais do que isso. Não tinha lobby.
Antônio Lopes cobra nome de quem recebeu a propina
Antônio Lopes (Foto: VIPCOMM)Antônio Lopes era o coordenador da Seleção em
2001 (Foto: VIPCOMM)
As declarações de Luciano Bivar também irritaram Antônio Lopes, que em 2001 ocupava o cargo de coordenador de seleções da CBF. Chateado com a repercussão das acusações do dirigente rubro-negro, Lopes disse que o mandatário leonino deveria ter a coragem de revelar quem recebeu a comissão para que Leomar fosse convocado.
– Até me assustei, porque em muitos anos de carreira, ninguém teve a petulância de falar nada desse tipo contra a minha pessoa. Todo mundo me conhece e sabe que eu nunca admitiria nada do tipo. O presidente do Sport deveria ter coragem e revelar para quem ele deu dinheiro. Precisa falar quem recebeu essa propina. Como coordenador, não permitiria isso. Se o camarada oferecesse isso, eu daria voz de prisão – disse, Antônio Lopes, lembrando os tempos em que era delegado.
Procurado pela reportagem do GLOBOESPORTE.COM, Rodrigo Paiva disse que a CBF não iria se pronunciar já que não foi citada no caso.

Últimas Notícias

Quixadá inicia a 4ª edição do QXAS...

Na sexta-feira (03), o Museu...


“Estou otimista e sinto que o povo...

Neste domingo, 05, será...


Encontro entre prefeita, deputado...

A prefeita de Icó, Laís...