Diretoria da UVC nega e justiça obriga a mostrar lista de associados

A disputa pela Presidência da União dos Vereadores do Ceará (UVC) ganha um novo capítulo. A Justiça determinou, por meio de uma liminar concedida pela juíza da 24ª Vara da Comarca de Fortaleza, Lira Ramos de Oliveira, que os atuais dirigentes da entidade apresentem a lista de Câmaras Municipais filiadas à entidade que podem participar da escolha do novo presidente da instituição.
As eleições para renovação do comando da UVC estavam marcadas para o dia 22, mas foram suspensas a pedido do vereador Audic Mota, que se sentiu prejudicado porque teve negado acesso às informações sobre os membros da entidade.
‘’A atual diretoria da UCV quer impedir a participação de uma chapa de oposição. É uma manobra que fere a democracia. A eleição anterior, realizada para dar mais um mandato ao atual presidente (Deuzinho Filho), foi manchada pelo impedimento da participação de um adversário, tendo candidatura única. Isso é antidemocrático’’, expôs Audic Mota, ao cobrar transparência dos dirigentes da entidade.
A União dos Vereadores do Ceará foi notificada, nesta segunda-feira, da decisão da Justiça que suspende a eleição marcada para o dia 22. A notificação cobra explicações dos dirigentes sobre a omissão de informações para os vereadores que querem concorrer à direção da entidade.
De acordo com a liminar, diante das cobranças dos vereadores, ‘’deveria, portanto, haver uma manifestação pronta e imediata por parte da UVC, em atendimento ao requerimento formulado pelo autor, caracterizando a inércia da entidade como uma verdadeira demonstração de falta de compromisso com os seus associados, assim como a vontade de macular o procedimento eleitoral em benefício dos atuais membros da Diretoria que concorrerão ao pleito’’.
Vereadores eleitos para o primeiro mandato estão procurando à UVC para se filiarem, mas esbarram no argumento de dirigentes que qualquer nova filiação somente será aceita após o dia 22 de março – data anteriormente marcada para realização do pleito para escolha dos novos dirigentes. A eleição, por determinação judicial, está suspensa.
”É legítimo que os vereadores eleitos para o primeiro mandato tenham direito de escolhar os dirigentes da entidade que os congrega”, reagiu o presidente da Câmara Municipal de Apuiarés, Abidias da Lagoa (PDT), ao se sentir constrangido com a indiferença com que foi tratado na manhã desta terça-feira na sede da UVC. ”Se a casa do vereador, eu como vereador fui maltratado na minha casa”, queixou-se o vereador.

Últimas Notícias

Educação em Tauá emite comunicado...

Em comunicado emitido ontem,...


Após 40 dias internado, 27 deles na...

Na luta contra a Covid-19,...


Hospital de Campanha vai começar a ser...

Na manhã de hoje, 26, o...