Eunício pede apoio de Ministério contra praga que atinge cajucultura

‘Oídio’ já destruiu 30% da produção de caju no Ceará, causando preocupação e efeitos na geração de emprego

Em defesa da cajucultura, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) participou de audiência com o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, e pediu apoio da pasta no combate a doença “Oídio”, praga que está causando perdas na produção de caju no Nordeste, causada pelo fungo Oidim anacardii.  

Acompanhado do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Ceará (FAEC), Flávio Viriato de Saboya, Eunício solicitou ao ministro o encaminhamento do parecer à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que permite aos produtores de caju utilizarem, em caráter de urgência, produtos comerciais a base de enxofre e de triflumizole, os quais tiveram eficiência comprovada pela Embrapa. De acordo com Flávio Viriato, o Governo do Estado do Ceará já disponibilizou os atomizadores para realizar a vaporização nas produções, mas é necessário aguardar a autorização da Anvisa. “Precisamos dessa autorização para manter ou até aumentar nossa produção de caju, garantindo a qualidade do produto que é consumido aqui, mas principalmente, no exterior, já que somos o maior exportador do produto”, disse.

Ao falar sobre o problema, Eunício manifestou preocupação com a rápida proliferação do fungo. Ele disse que é preciso agir com rapidez para que não aconteça o fim da produção como aconteceu com o cultivo do algodão no Ceará. “É fundamental que o ministério se mobilize agora para que não aconteça com o caju, o mesmo que aconteceu com a proliferação do bicudo, quando destruiu o nosso algodão”, argumentou ao pedir o apoio do ministro. Eunício ainda observou que são milhares de famílias que dependem diretamente do cultivo do caju. “Não podemos deixar que milhares de empregos sejam perdidos, e nossa economia sofra perdas por não agirmos rápido”, afirmou.

Prontamente, Mendes Ribeiro Filho confirmou seu apoio e assinou encaminhamento à Anvisa dando parecer favorável a aplicação dos produtos . Ele defendeu a atividade ao colocar o ministério a disposição. “Vamos agilizar e combater esse problema. O ministério apoia a cajucultura e sua expansão”, afirmou.  De acordo com informações da FAEC, 30% da produção de caju, no Ceará, já foi destruída devido a proliferação do fungo. Atualmente, em todo o Estado, existem cerca de 60 mil produtores de caju. O setor gera em torno de 150 mil empregos no campo e 20 mil empregos na indústria e serviços. A Região Nordeste dispõe de mais de 659 mil hectares cultivados com o caju, sendo o Ceará o maior produtor, com aproximadamente 55% da safra.

Últimas Notícias

Novo decreto proíbe eventos em locais...

O Decreto Estadual que entra...


MP Eleitoral requer regulação de...

Nesta sexta-feira (23), o...


Autor do gol da vitória, Wesley...

Atacante balançou as redes...